Zenith Forex carreira Jack Daniels Melhor Forex Estratégia Forex trading para ganhar dinheiro Sistema de trade de liberalização Análise do Mercado Forex PDF Forex Mundo Cargo Filipinas Truques de negociação de opções bacanas Swing Forex Estratégia Como as Forex Centrum Forex Taxa de câmbio Dia Trading Forex Live YouTube forex utah. O leilão de swap forex é Opções binárias Rich Forex Trading. NBAD Forex Trading. Ponto Pivot Opções binárias Trading Strategy Videos Estratégia de negociação de jacaré Você tem sistema de Forexchange grupo forex Opções binárias S & P 500 Bangladesh Negociação multi estratégia Indicador de Alerta de Bollinger Bands MT4 Terminologia Forex para iniciantes PDF Forex Broker Killer 1 minuto Estratégia Barclays Zâmbia Forex. Data de Banco Estadual da Índia Forex Ramos Pune man Aprenda Forex Negociar software de sistema de negociação automática state dating laws in Sint Genesius Rode Belgium speed dating central Natal Brazil ヒマラヤ外国為替プライベートリミテッドリミテッド toerana hookup Antsirabe Madagaskar
Mostrando itens por tag: santa catarina
Quinta, 07 Novembro 2013 18:16

Sindicato e representantes da Transpetro e do Compartilhado/AMS se reúnem nesta sexta (08), em Guaramirim, para negociar melhorias no atendimento à saúde

Quinta, 07 Novembro 2013 15:59

1316

Quarta, 23 Outubro 2013 19:48

A maioria das assembleias dos petroleiros das bases do Paraná e Santa Catarina aprovou a última proposta da empresa para fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2015 e encerramento da greve, iniciada em âmbito nacional na última quinta-feira (17). A exceção foi a do Terminal Transpetro de Guaramirim, que rejeitou a proposta, mas aprovou a suspensão do movimento.

A indicação da FUP e sindicatos filiados de aceitação da proposta veio após a Petrobrás garantir por escrito, na madrugada desta quarta-feira (23), o compromisso de não punir os trabalhadores em greve. Por considerar que a proposta conquistada pela categoria na luta tem avanços significativos e atende às principais bandeiras desta campanha, a FUP e seus sindicatos defenderam sua aprovação.

A luta da categoria entra novamente para história. A força da greve foi fundamental para fazer a empresa avançar na mesa de negociação e arrancar uma proposta com avanços significativos, inclusive o fundo garantidor para os trabalhadores terceirizados, uma conquista fundamental para fortalecer a luta da categoria contra o PL 4330. Antes da greve, a Petrobrás sequer tinha respondido aos principais pleitos dos petroleiros. Ao atenderem ao indicativo de greve da FUP, os trabalhadores alteraram completamente a correlação de forças com a empresa, fortalecendo as direções sindicais no processo de negociação.

Resultado das Assembleias
Três pontos estiveram em votação nas assembleias desta quarta-feira: 1 – Debate e Deliberação quanto ao indicativo do Conselho Deliberativo da FUP em relação à última proposta de Acordo Coletivo de Trabalho para 2013/2015 apresentada pela Companhia no dia 22 deste mês; 2 – Apreciação do indicativo do Conselho FUP em relação à greve; e 3 – Autorização ao Sindicato para realizar um desconto assistencial de 0,5% (cinco décimos) do salário-básico, em uma única parcela, com o objetivo de promover as campanhas contra os leilões dos campos de petróleo e contra o PL-4330.

O resultado final geral ficou da seguinte forma: 1) 82,9% favoráveis, 15,4% contrários e 1,8% de abstenções – 2) 88,5% favoráveis, 8,2% contrários e 3,3% de abstenções – 3) 87,5% favoráveis, 8% contrários e 4,5% de abstenções

Passagem de serviço na Repar
As sessões de assembleia da refinaria também discutiram condicionantes para o retorno ao trabalho. Foi aprovada a proposta de que a greve termina a partir da troca de turno das 07h30 desta quinta-feira (24). A passagem de serviço e o check list terão o tempo de oito horas para garantir a segurança dos que assumem os trabalhos após a greve, inclusive com o acompanhamento do Sindicato, que ficará de plantão no ramal 6763. Também ficou estabelecido que não serão emitidas Permissões de Trabalho (PT) pelo período de oito horas.

Greve por melhorias na AMS em Santa Catarina
No caso específico dos trabalhadores dos terminais Transpetro de Santa Catarina, também foi votado um indicativo de greve por melhorias na Assistência Médica Multidisciplinar (AMS). Como houve conflito de datas, ficou estabelecido que o movimento começa a partir de 10 de novembro, com dia específico a ser consensuado entre as bases.

Repar
Sessão 1 – 08h00, em frente à Unidade
1) 144 favoráveis, 30 contrários e 02 abstenções
2) 163 favoráveis, 11 contrários e 02 abstenções
3) 169 favoráveis, 05 contrários, 02 abstenções

Sessão 2 – 14h00, na Sede do Sindicato
1) 54 favoráveis, 12 contrários e nenhuma abstenção
2) 56 favoráveis, 07 contrários e 03 abstenções
3) 61 favoráveis, nenhum contrário e 05 abstenções

Sessão 3 – 15h30, em frente à Unidade
1) 11 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção
2) 11 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção
3) 11 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção

SIX
1) 63 favoráveis, 05 contrários e nenhuma abstenção
2) 65 favoráveis, 03 contrários e 01 abstenção
3) 58 favoráveis, 09 contrários e 01 abstenção

Terminal Transpetro de São Francisco do Sul
1) 43 favoráveis, 04 contrários e nenhuma abstenção
2) 43 favoráveis, 04 contrários e nenhuma abstenção
3) 40 favoráveis, nenhum contrário e 07 abstenções

Terminal Transpetro de Itajaí
1) 19 favoráveis, 04 contrários e nenhuma abstenção
2) 19 favoráveis, 04 contrários e nenhuma abstenção
3) 11 favoráveis, 09 contra e 03 abstenções
*Retorno às atividades na quinta-feira (24)

Terminal Transpetro de Guaramirim
1) 07 favoráveis, 10 contrários e 04 abstenções
2) 12 favoráveis, 06 contrários e 06 abstenções
3) 15 favoráveis, 05 contrários e 01 abstenção
*Retorno às atividades na quinta-feira (24)

Terminal Transpetro de Biguaçu
1) 06 favoráveis, 04 contrários e 01 abstenção
2) 06 favoráveis, 02 contrários e 03 abstenções
3) 02 favoráveis, 08 contrários e 01 abstenção

Terminal Transpetro de Paranaguá
1) 25 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção
2) 25 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção
3) 25 favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção

Principais avanços
O reajuste de 8,56% na RMNR, que significa um ganho real entre 1,82% e 2,33%, é um dos maiores conquistados pelas categorias em campanha. Antes da greve, o reajuste proposto pela Petrobrás era de 7,68%. O ganho real arrancado pelos petroleiros na luta é maior do segundo semestre entre as categorias organizadas.

A proposta conquistada também garantiu avanços importantes para os aposentados e pensionistas, como o atendimento do pleito histórico da FUP de isonomia dos três níveis salariais recebidos pela ativa nos acordos de 2004, 2005 e 2006. Antes da greve, a proposta da Petrobrás era de remeter essa reivindicação para uma comissão se posicionar em 180 dias. A nova proposta garantiu o pagamento dos níveis para todos os aposentados e pensionistas com ações transitadas em julgado.

A greve foi também preponderante para sepultar de vez o famigerado GD, uma das heranças malditas da era FHC. A nova proposta atende a um pleito antigo do movimento sindical de avanço automático de Pleno para Sênior, nas carreiras de nível médio, nos mesmos moldes praticados para os trabalhadores Júnior. Na campanha passada, a FUP já havia conquistado o avanço automático de nível a cada 12, 18 e 24 meses. Soma-se a isso, a conquista de mais uma dobradinha, garantindo o retorno do extra-turno de todos os feriados nacionais laicos.

Além disso, a nova proposta avança no sentido de ampliar a igualdade de direitos entre os trabalhadores das subsidiárias e da holding. Após anos de cobrança da FUP, a Transpetro concordou, finalmente, em garantir a AMS para os aposentados e pensionistas, pleito que também será extensivo aos trabalhadores da Petrobrás Biocombustível.

Outra conquista importante, principalmente para os aposentados e pensionistas, é a reformulação do benefício farmácia, que passará a custear integralmente os medicamentos para todos os petroleiros, inclusive das subsidiárias. Em contrapartida, os beneficiários terão um desconto fixo mensal com valores entre R$ 2,36 e R$ 14,17, de acordo com a faixa de renda.

Clique aqui para conferir a íntegra da proposta da Petrobras.

Segunda, 21 Outubro 2013 17:06

A greve dos petroleiros entra no seu quinto dia nesta segunda-feira (21) com ainda mais força. A categoria segue mobilizada contra o leilão do campo de Libra, em repúdio ao Projeto de Lei das terceirizações (PL 4330) e por melhorias na proposta do Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2015.

O leilão de Libra está previsto para a tarde de hoje e a espanhola RPSOL desistiu da licitação. Agora são apenas 10 empresas no páreo para arrematar as riquezas naturais que deveriam beneficiar o povo brasileiro, e não o mercado privado internacional.  

O Governo Federal convocou um efetivo de 1.100 homens do Exército e da Força Nacional para evitar que manifestantes atrapalhem o leilão, que acontece no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Conflitos foram registrados, com ao menos sete pessoas feridas. As forças armadas utilizam bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha para evitar que o hotel seja ocupado. Centenas de petroleiros e militantes dos movimentos sociais participam do protesto.

O Sindipetro Paraná e Santa Catarina, assim como outros sindicatos de petroleiros, moveu ação civil pública junto a 11ª Vara Federal de Curitiba que busca a suspensão do leilão do campo de petróleo de Libra. A Advocacia-Geral da União (AGU) informou nesta segunda-feira (21) que foram ajuizadas 24 ações pedindo o cancelamento da 1ª rodada de licitações da ANP no pré-sal, mas 18 delas já tiveram decisão desfavorável, seis ainda aguardam julgamento.   

Independente do resultado os petroleiros podem se considerar vitoriosos. “Conseguimos romper o silêncio e trouxemos à tona um grande debate sobre o destino das riquezas do país. Não é o começo, nem mesmo o fim de toda essa história, acontecendo o leilão ou não. Os petroleiros têm que se orgulhar de terem feito emergir esse debate na sociedade”, afirmou o presidente do Sindicato, Silvaney Bernardi.

Quadro da greve
Na Repar, em Araucária, o índice de adesão geral é de 75% e já há redução da carga de produção. O Sindicato segue com os piquetes em todos os portões da Refinaria e pela manhã de hoje houve protesto próximo ao principal acesso.

Na Usina do Xisto, em São Mateus do Sul, a adesão dos grupos de turno é de 100% e a produção é feita apenas por supervisores e coordenadores de turno. Em Paranaguá, no Tepar, o índice de adesão média é de 90%.

Em Santa Catarina, a greve já afeta o fornecimento de combustíveis. Alguns postos estão sem gasolina e óleo diesel e as distribuidoras adotaram práticas de racionamento. A adesão também gira em torno de 90% nos Terminais Transpetro de Biguaçu, Guaramirim, Itajaí e São Francisco do Sul.

Sexta, 18 Outubro 2013 19:16

De 90% a 100% dos trabalhadores de unidades operacionais participam do movimento

Quinta, 17 Outubro 2013 18:22

Categoria exige o imediato cancelamento do leilão do pré-sal e melhorias na proposta da empresa

Sexta, 11 Outubro 2013 19:42

Cresce a cada dia as mobilizações contra os leilões do petróleo. Nesta sexta (11), petroleiros e movimentos sociais fizeram um ato na Boca Maldita, em Curitiba. Na segunda-feira (14), às 09h00, acontece uma audiência pública sobre o tema no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, também na capital paranaense.

Já na próxima quarta-feira (16) é a vez de um grande protesto em Santa Catarina. Petroleiros, aliados com demais sindicatos e movimentos sociais, fazem uma manifestação em frente à Unidade de Operações de Exploração e Produção do Sul (UO-Sul), em Itajaí (Rua Brusque, 367 - Centro), às 16h00.

O objetivo é amplificar a luta contra a 1ª Rodada de Licitações da ANP na Área do Pré-Sal, marcada para o próximo dia 21. Nessa rodada estará em licitação o campo de Libra, cujo potencial é de aproximadamente 15 bilhões de barris de óleo de boa qualidade. Isso equivale a tudo o que a Petrobrás já descobriu de petróleo no país nesses 60 anos de existência. O leilão do campo de Libra será o primeiro sob o regime de partilha de produção, mas a nova Lei do Petróleo (12.351/2010) permite que a União celebre o contrato de exploração do campo de Libra diretamente com a Petrobrás, sem colocá-lo em licitação.

Quarta, 09 Outubro 2013 16:46

O II Encontro Nacional da Juventude Petroleira da FUP, realizado entre os dias 02 e 05 de outubro, em Brasília-DF, reuniu cerca de noventa pessoas, entre jovens trabalhadores do Sistema Petrobrás e integrantes de movimentos sociais que participam do acampamento montado em frente à Esplanada dos Ministérios que exige a suspensão do leilão do pré-sal.


Os temas marco regulatório da mídia, formação política-ideológica e comunicação sindical contra a opressão no trabalho, reforma política, assédio moral e suas consequências, sobrecarga e adoecimento no trabalho, questões gerais do setor petróleo e suas formas de organização e exploração foram abordados por lideranças do movimento sindical e representantes dos coletivos da juventude da CUT, CNQ, MAB e MST.


As deliberações do encontro foram divididas em seis eixos: curso de formação petroleira para a juventude, atuação sindical, juventude pela soberania, cultura, construir o coletivo da juventude petroleira da FUP e pautas locais. Entre os destaques das proposições, estão o processo de construção de um curso de formação sindical e política da FUP; atuação da juventude com foco nas luta contra os leilões do petróleo, pela reforma política com participação popular e democratização da mídia; participação das comissões de pautas locais e de SMS, CIPA, CNPBz (Comissões Permanentes do Benzeno), entre outras; e renovação das direções sindicais com diversidade de gênero, raça e inclusão da juventude.


O Sindipetro Paraná e Santa Catarina enviou três representantes ao encontro, Anacélie Azevedo (Repar), Jonathas Gomes de Medeiros (Tepar) e Rafael Palenske Andrade (SIX). Clique aqui para conferir a íntegra das deliberações do II Encontro da Juventude da FUP.

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro