Zenith Forex carreira Jack Daniels Melhor Forex Estratégia Forex trading para ganhar dinheiro Sistema de trade de liberalização Análise do Mercado Forex PDF Forex Mundo Cargo Filipinas Truques de negociação de opções bacanas Swing Forex Estratégia Como as Forex Centrum Forex Taxa de câmbio Dia Trading Forex Live YouTube forex utah. O leilão de swap forex é Opções binárias Rich Forex Trading. NBAD Forex Trading. Ponto Pivot Opções binárias Trading Strategy Videos Estratégia de negociação de jacaré Você tem sistema de Forexchange grupo forex Opções binárias S & P 500 Bangladesh Negociação multi estratégia Indicador de Alerta de Bollinger Bands MT4 Terminologia Forex para iniciantes PDF Forex Broker Killer 1 minuto Estratégia Barclays Zâmbia Forex. Data de Banco Estadual da Índia Forex Ramos Pune man Aprenda Forex Negociar software de sistema de negociação automática state dating laws in Sint Genesius Rode Belgium speed dating central Natal Brazil ヒマラヤ外国為替プライベートリミテッドリミテッド toerana hookup Antsirabe Madagaskar
Mostrando itens por tag: privatização
Terça, 18 Junho 2019 19:40

Solenidade de lançamento teve sala lotada e adesão de diversas organizações da sociedade civil.

Sábado, 15 Junho 2019 22:49

Será na próxima segunda-feira (17), às 09h00, na Assembleia Legislativa do Paraná.

Quinta, 06 Junho 2019 18:20

Ato de lançamento acontece às 19h00, no Prédio Histórico da UFPR, em Curitiba-PR.

Segunda, 27 Maio 2019 18:45

Decisão impede a privatização da Repar e outras refinarias, assim como a Fafen-PR e a TAG.

Sexta, 24 Maio 2019 03:59

 

Começou na noite desta quinta-feira (23) a 8ª Plenária Nacional da Federação Única dos Petroleiros. Com o tema “Liberdade Sindical, Direitos e Petrobrás do Povo”, a PlenaFUP reúne cerca de 200 trabalhadores em Belo Horizonte (MG), na Escola Sindical de Canoas.

 

Durante a  Solenidade de Abertura houve uma homenagem a Márcio Nicolau Machado, ex-presidente do Sindipetro Minas Gerais, vítima de um trágico acidente de carro no início do ano. Foi exibido um documentário com diversos depoimentos sobre o sindicalista e sua atuação junto aos movimentos sociais mineiros.

 

As falas na mesa de abertura destacaram a importância da realização de uma plenária da categoria diante da conjuntura atual, na qual o governo tenta acabar com a soberania do país, entregando as riquezas nacionais, ao mesmo tempo em que submete os trabalhadores à flexibilização de direitos e à reforma da previdência de características cruéis. Como se não bastasse, o governo ainda ataca o ensino público, colocando a nação na rota de se tornar uma colônia extrativista e de mão de obra barata.

 

Para o coordenador da FUP, José Maria Rangel, os petroleiros têm pela frente uma campanha reivindicatória difícil. "Em momento como esse, a palavra resistência ganha um significado ainda maior. Será com a nossa luta e com o nosso compromisso em transformar o Brasil que iremos enfrentar aqueles que desejam submeter o nosso destino, entregando a nossa dignidade e a nação soberana. Estamos aqui reunidos para debater a proposta de enfrentamento ao desmonte do Sistema Petrobrás e de resistência às ações do governo Bolsonaro de retirada de direitos e de ataques  às entidades sindicais", destacou.

Sexta, 24 Maio 2019 03:31

 

Com o desafio de construir uma ampla agenda de luta contra o desmonte do Sistema Petrobrás e em defesa dos direitos da categoria, os petroleiros iniciam nesta quinta-feira, 23, a 8ª Plenária Nacional da FUP. O evento reúne cerca de 200 trabalhadores em Belo Horizonte, na Escola Sindical Sete de Outubro.

 

Além das reformas ultraliberais do governo Bolsonaro que afetam toda a classe trabalhadora, os petroleiros enfrentam uma das campanhas reivindicatórias mais duras da história da categoria.  Na quarta-feira, 22, os gestores da Petrobrás apresentaram uma proposta de desmonte do Acordo Coletivo de Trabalho, que aniquila direitos e benefícios sociais e ataca frontalmente as organizações sindicais, pavimentando o caminho para a privatização da empresa.

 

É nessa conjuntura repleta de desafios que acontece a 8ª Plenafup, cujo tema “Liberdade Sindical, Direitos e Petrobrás do povo” sintetiza os desafios postos para a categoria petroleira.  

 

Programação:

 

23/05 – quinta-feira

9 h – Chegada das delegações e início do credenciamento

10h – Encontro do Jurídico e Encontro de Comunicação

15h - Eleição da mesa diretora, leitura e aprovação do Regimento Interno

18h – Mesa de abertura do VIII PLENAFUP

 

24/05 – sexta-feira

07h – ato na Regap contra a venda das refinarias da Petrobrás e o aumento dos combustíveis

14h15 – Painel de Debate - Reforma da previdência ou ajuste fiscal para os pobres?

17h30 - lançamento do livro do INEEP

 

25/05 – sábado

09h – Painel de Debate - Efeitos da reforma trabalhista e Liberdade sindical - Por que querem acabar com os sindicatos?

11h - Painel de Debate - A privatização e a política de preços da Petrobrás - A farsa da Lava Jato

15h – Trabalhos em grupos:

Grupo 1 – Luta contra a Privatização da Petrobrás e Calendário da Campanha

Grupo 2 – Resoluções 23 e 25 da CGPAR – efeitos sobre a AMS e Previdência

Grupo 3 – Desafios à representação sindical

 

26/05 – domingo

09h – Plenária Final e apreciação do Relatório da Comissão de Ética a respeito do afastamento disciplinar de dirigente da FUP

12h - Retorno das delegações

 

[FUP]

Quinta, 23 Maio 2019 03:28

Nenhum direito a menos, foi o grito dos petroleiros durante a reunião de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2019-2021, que aconteceu hoje no Rio de Janeiro. Em mesa única, com representantes da FUP e FNP, a Petrobrás apresentou sua contraproposta que mal dá para considerar como tal. Mas como um documento que retira direitos e visa acabar com o movimento sindical.

 

Para o coordenador da FUP, José Maria Rangel, esta é mais uma etapa da privatização. “Ela quer pavimentar o caminho para a privatização da empresa. Que é retirar os nossos direitos e também praticamente aniquilar o movimento sindical. Por isso nós temos que resistir e participar das assembleias rejeitando essa proposta com disposição de luta, que será necessário”, comenta.

 

O indicativo é de rejeição

Como a empresa apresentou a contraproposta antecipadamente sem sequer negociação com os sindicatos, invertendo a ordem do processo, ficou decido pelos representantes dos trabalhadores que os petroleiros não comparecerão nas reuniões que aconteceriam nos dias 27 e 28/05, pois a postura da empresa na primeira rodada inviabiliza qualquer tipo de reunião sem que antes sejam realizadas as assembleias com a categoria.

 

“Uma proposta absurda”. Foi como classificou o diretor da FNP, Adaedson Costa. “Essa é uma pauta da alta direção da empresa para acabar com os direitos dos trabalhadores e vender o refino e tudo que for possível a preço vil”. A contraproposta foi distribuída para a categoria pela empresa ao mesmo tempo em que acontecia a reunião com as entidades sindicais, em uma demonstração clara de como pretendem gerir a empresa nos próximos anos. Desrespeitando os trabalhadores, e descumprindo o Acordo Coletivo de Trabalho.

 

Sendo assim, até o dia 6 de junho acontecerão assembleias em todas as bases para rejeitar essa proposta, demonstrando a disposição de luta da categoria. A proposta tem que ser uma só: NENHUM DIREITO A MENOS.

 

Vai ter resistência

Ainda na mesa de negociação, o coordenador da FUP, fez questão de lembrar aos presentes que quem construiu a Petrobrás foram os trabalhadores. “Não vamos ver isso acontecer e ficar quietos. Vai ter resistência. Porque nós todos construímos essa empresa com o objetivo comum de uma Petrobrás indutora do desenvolvimento nacional. E provamos que isso é possível, tanto que descobrimos o Pré-sal”.

 

Entre os dias 23 e 26 de maio, os petroleiros dos sindicatos filiados à FUP estarão em Minas Gerais para a VIII PlenaFUP, onde serão traçadas estratégias e um calendário de luta contra a privatização e em defesa dos direitos e da liberdade sindical, que será apresentado para a categoria. Por isso é muito importante a participação de todos e todas nas assembleias do mês de junho. Juntos somos mais fortes.

 

[FUP]

Quarta, 22 Maio 2019 14:17

 

O Sindipetro Paraná e Santa Catarina está empenhado na busca por mais apoios à luta em defesa do Sistema Petrobrás e da soberania nacional.

 

Na última segunda-feira (20), dirigentes do Sindipetro PR e SC fizeram reuniões com deputados federais e estaduais para explicar sobre a importância da manutenção da Petrobrás enquanto empresa estatal para o país.

 

Os diretores abordaram temas relativos à Petrobras, como a geração de recursos para os estados e municípios, a capacidade da empresa de criar e manter empregos, a utilização dos recursos da exploração e refino do petróleo para setores estratégicos da sociedade, como saúde, educação e tecnologia, bem como a competência da estatal em produzir combustíveis a preços justos, baseados na moeda nacional e não na cotação do dólar e do barril de petróleo no mercado internacional.

 

Já nesta quarta-feira (22), uma comissão de dirigentes esteve na reunião do Fórum dos Servidores Públicos do Paraná (FES), que reúne entidades sindicais de todo o funcionalismo estadual. Na oportunidade, falaram sobre as questões pertinentes à Petrobrás e alertaram sobre a intenção do governo de privatizar a estatal, um dos maiores patrimônios do país.

 

Todas essas ações, que não param por aqui, têm o objetivo de agregar apoios e constituir um Fórum em Defesa da Petrobrás.

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro