Image not available
Image not available
Mostrando itens por tag: petrobras
Terça, 03 Dezembro 2013 17:55

Os trabalhadores da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba, decidem em assembleias na próxima quinta e sexta-feira se entram em greve por tempo indeterminado. O motivo é a falta de segurança.

O acidente na noite da última quinta-feira (28) que gerou explosões e incêndio na Unidade de Destilação (U-2100), somado às ações administrativas irresponsáveis da Direção da Repar, gerou um clima de tensão. A empresa tenta retomar as atividades na U-2100 o mais rápido possível e para isso toma atitudes que colocam em risco a vida dos trabalhadores.

A jornada dos funcionários da manutenção foi estendida para 12 horas e os trabalhos de recuperação da Unidade de Destilação foram liberados sem análise de risco do ambiente, sobretudo em relação às estruturas de concreto armado e de metal que sustentam toneladas de equipamentos. Não há laudos que atestem a segurança das vigas de sustentação. Essas informações foram confirmadas pela própria Gerência Geral da Refinaria, durante reunião com representantes do Sindicato nesta terça-feira (03).

O quadro é agravado com o fato de as investigações do acidente sequer terem começado. Relatos dos trabalhadores ainda dão conta que os serviços de manutenção estão sendo realizados com extrema pressa e muitos improvisos.

O Sindicato busca junto à Superintendência Regional do Trabalho a interdição dos trabalhos de recuperação da U-2100 como forma de garantir a integridade física dos trabalhadores.

Terça, 03 Dezembro 2013 13:31

Na noite do dia 1º de dezembro, um incêndio na Refinaria Isaac Sabbá (REMAN), em Manaus, de causas ainda não explicadas, deixou três pessoas feridas. Um dos trabalhadores sofreu queimaduras em 34% do corpo, enquanto outro teve 23% do organismo afetado pelas chamas. O terceiro sofreu queimaduras leves.

O Sindipetro Manaus ainda apura as causas do acidente. A explosão ocorreu na Unidade de Craqueamento Catalítico (UFCC) durante a parada para manutenção.

A tragédia de Manaus, assim como a da Repar, acontece enquanto o Programa de Otimização de Custos Operacionais (Procop) completa um ano. Ao invés de comemorar, motivos não faltam para lamentar. O Programa, que reduziu os investimentos em manutenção de equipamentos e contratação de trabalhadores, agravou ainda mais a situação de insegurança a qual os petroleiros estão submetidos.

Segunda, 02 Dezembro 2013 18:55

O acidente da última quinta-feira, 28, que causou explosões e incêndio na Unidade de Destilação (U-2100) foi a gota d’água. O descaso dos gestores da Repar com a segurança ultrapassou todos os limites técnicos e morais e os trabalhadores prometem dar resposta à altura. Para isso, o Sindipetro Paraná e Santa Catarina vai realizar assembleias nos dias 05 e 06, próximas quinta e sexta-feira. Em pauta, o debate e deliberação sobre o risco à vida dos trabalhadores na Repar, a partir da análise do desastre na U-2100, com apreciação de greve por tempo indeterminado.

Ainda em pauta, o tratamento estatutário e éticos dos casos de “fura-greves”, que desrespeitaram as decisões de assembleia e não aderiram ao movimento de outubro.  

Confira o quadro das assembleias!

BASE

LOCAL/SESSÃO

DATA

HORÁRIO

Araucária/PR

Em frente à REPAR / Grupo 5 + Administrativo

05/12/2013

07h00

Em frente à REPAR / Grupo 1

05/12/2013

15h00

Em frente à REPAR / Grupo 2

06/12/2013

07h00

Curitiba/PR

SEDE DO SINDIPETRO PR/SC EM CURITIBA/PR

R. LAMENHA LINS, 2064 / Grupos 3 e 4

06/12/2013

16h00

*O Edital de Convocação de Assembleia está no anexo abaixo!

Segunda, 02 Dezembro 2013 17:23

A Direção da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) enviou comunicado à toda força de trabalho da unidade na última sexta-feira (29) diminuindo o grave acidente ocorrido na noite do dia anterior. Para os gestores da Repar, apenas “houve um princípio de incêndio na Unidade de Destilação U-2100”. A mesma informação deturpada foi repassada à imprensa, que soube do acidente através dos avisos de pauta enviados pelo Sindipetro Paraná e Santa Catarina.

Ocorreram várias explosões na U-2100, com chamas ultrapassando a altura dos 50 metros. O incêndio foi bravamente combatido pelos trabalhadores da Brigada de Emergência da Refinaria e levou quase duas horas para ser controlado.

O Sindicato há tempos alerta a empresa sobre os riscos de acidentes na Repar, mas não tem sido ouvido. Preocupado com a situação, em agosto deste ano protocolou um dossiê com mais de 500 páginas no Ministério Público do Trabalho da 9ª Região, onde denunciou o efetivo insuficiente de trabalhadores, os altos índices de terceirização, sobretudo na manutenção industrial, e a redução de custos na conservação dos equipamentos em função do Procop (Programa de Otimização dos Custos Operacionais).

Missão heroica
Durante o combate ao incêndio, os brigadistas da Repar sofreram com exposição a níveis elevados de benzeno, uma substância altamente cancerígena, e outros produtos tóxicos. Doze horas após o incêndio ainda foram registrados altos índices de benzeno na atmosfera da área industrial. Um dos muitos impactos negativos da redução de efetivo e do Procop é justamente a falta de treinamento adequado das equipes de emergência.

Cabe destacar o ato heroico dos brigadistas. Colocaram suas vidas em risco para salvar a dos seus companheiros(as). O trabalho se deu muito próximo ao fogo e ainda não se sabe o impacto na saúde. A única certeza, por hora, é a da bravura desses trabalhadores.

Confira o vídeo com imagens inéditas do acidente:

Sexta, 29 Novembro 2013 18:51

Política de (in)segurança do abastecimento da Petrobrás não podia resultar em outra coisa

Sexta, 15 Novembro 2013 00:29

1317

Quarta, 13 Novembro 2013 13:30

Especial Mulheres Petroleiras

Terça, 12 Novembro 2013 12:39

Em reunião com a FUP, nesta segunda-feira, 11, a Petrobrás não alterou nenhum dos eixos da contraproposta para regramento da PLR que já haviam sido rejeitados pela Federação nas rodadas anteriores de negociação. Na semana passada, a FUP deu prazo para que a empresa apresentasse hoje uma nova proposta, que atendesse aos principais pleitos dos trabalhadores.

A resposta da Petrobrás, no entanto, frustrou a categoria, que luta desde 2008 por regras claras e democráticas para a PLR. A empresa mantém a mesma forma de distribuição que vem sendo praticada à revelia dos trabalhadores. O montante da PLR proposto também continua aquém dos dividendos destinados aos acionistas.

A única alteração que a Petrobrás fez na contraproposta apresentada no dia 04 de outubro foi a inclusão de um valor mínimo para os trabalhadores, em caso da empresa não apresentar lucro, mas ter resultados, como havia cobrado a FUP. A proposta da Petrobrás é de que esse valor seja metade de uma remuneração acrescida por metade do piso da PLR pago no ano anterior.

Em relação ao adiantamento da PLR 2013 a ser paga em 2014, a empresa informou que ainda não pode se posicionar, pois não houve antecipação do pagamento dos dividendos dos acionistas e, em função disso, não tem base legal para adiantar a PLR. O RH, no entanto, esclareceu que continua buscando uma resposta para a reivindicação da FUP.

Manter o VAZO é incentivar a subnotificação

A Petrobrás insiste na manutenção do indicador Volume Total de Petróleo e Derivados Vazado (VAZO), alegando ser de fácil acompanhamento pelos órgãos fiscalizadores. A FUP reiterou que o indicador, além de não permitir a intervenção ou acompanhamento dos trabalhadores na gestão de SMS, será mais um instrumento de manipulação das gerências e não cumprirá o seu papel. Pelo contrário, se mantido, induzirá ainda mais a subnotificação de vazamentos, da mesma forma que já acontece em relação aos acidentes com afastamentos.

Para se contrapor ao VAZO, a FUP e o Dieese apresentaram como alternativa um indicador também ligado ao SMS, mais que inverte a atual lógica das gerências, pois estimula os trabalhadores a uma atitude pró-ativa em relação ao meio ambiente. O indicador proposto pela FUP é o Volume Total de Água Reusada, que já vem sendo divulgado pela empresa em seus relatórios ambientais, ao se referir ao reaproveitamento de água nas unidades operacionais e administrativas. A Petrobrás, no entanto, não abre mão do indicador de petróleo e derivados vazados, que na prática será mais um instrumento do SMS para subnotificação, atuando no sentido inverso ao que é proposto pela FUP.

Conselho Deliberativo da FUP se posicionará nesta terça-feira, 12

Nesta terça-feira, 12, o Conselho Deliberativo da FUP irá discutir a proposta da Petrobrás para regramento das PLRs e definir os próximos encaminhamentos. A reunião terá início às 14 horas, no Rio de Janeiro, onde os dirigentes sindicais também irão avaliar a campanha reivindicatória.

O que reivindicam os trabalhadores e o que a empresa propõe

A proposta aprovada pelos trabalhadores reivindica o montante da PLR entre 14%  e 25% dos dividendos. Detalhando melhor, 14% equivale ao valor médio das PLRs conquistadas pelos petroleiros desde 2003, e 25% é o valor máximo definido pela Resolução 10 do DEST. Levando em consideração que, entre 2003 e 2012, os dividendos pagos pela Petrobrás aos acionistas representaram, em média, 33% do lucro líquido da empresa, o montante reivindicado pelos trabalhadores equivaleria de 4,71% a 8,28% do lucro líquido. A proposta da Petrobrás é de que o valor da PLR seja de 4% a 5,25% do lucro líquido.  

Indicadores:

· Custo Unitário de Extração sem Participação (Brasil) - Razão entre os custos de extração e o volume produzido de óleo e gás natural para uso comercial sem participação governamental. A FUP CONCORDA

· Produção de Óleo e LGN (Brasil) - Expressa o volume médio diário de produção de óleo e LGN da Petrobras no Brasil.  A FUP CONCORDA

· Carga Fresca Processada (Brasil) - Representa o volume de petróleo nacional e importado processado (sem considerar reprocessamento) nas unidades de destilação atmosférica das refinarias, mais as correntes de LGN processadas nas UNs. A FUP CONCORDA

·Eficiência das Operações com Navio (EON - TA) - Mede a eficiência das operações de carregamento e descarregamento de navios nos terminais, levando em consideração as restrições impostas pelos terminais aquaviários. A FUP CONCORDA

·Atendimento à Programação de Entrega de Gás Natural - AP-GN - Mede a eficácia no atendimento à quantidade diária solicitada pelos clientes externos (Distribuidoras Locais de Gás Natural e Termelétrica de terceiros) assim como aos clientes internos (E&P, Abastecimento) conforme as cláusulas contratuais ou os acordos de nível de serviço.A FUP CONCORDA

· Volume Total de Petróleo e Derivados Vazado (Limite Máximo Admissível - LMA) - Somatório do volume de óleo (petróleo e derivados) liberado acidentalmente para o meio ambiente (em corpos hídricos e em solo não impermeabilizado), em ocorrências com vazamentos acima de 01 (um) barril (0,159 m³), causado pela PETROBRAS ou por contratada. A FUP NÃO CONCORDA

Fonte: Imprensa FUP

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro