Image not available
Image not available
Mostrando itens por tag: petrobras
Quinta, 28 Agosto 2014 18:17

A FUP apresentou à Petrobrás e subsidiárias a pauta salarial dos petroleiros na tarde desta quarta-feira, 27. Conforme aprovado no XVI Confup, a categoria reivindica 5,5% de ganho real, além da reposição da inflação dos últimos 12 meses, conforme o ICV/Dieese, cuja estimativa é de 6,87%. A campanha deste ano trata somente das reivindicações econômicas, já que as demais cláusulas do Acordo Coletivo têm validade de dois anos e, portanto, só serão negociadas na campanha reivindicatória de 2015. Veja aqui a íntegra da pauta.

Durante a entrega da pauta, a FUP cobrou a renovação do termo de manutenção de data base e o adiantamento da reposição da inflação, conforme tem sido praticado nas últimas campanhas reivindicatórias. Os dirigentes sindicais também cobraram o cumprimento das cláusulas do atual Acordo Coletivo que continuam com pendências, como a que trata da extensão a todos os aposentados e pensionistas do pagamento dos níveis recebidos pela ativa em 2004, 2005 e 2006 (cláusula 181) , e as que dispõem sobre questões relativas a regimes e jornada de trabalho (cláusulas 105, 106 e 115).

Antes de protocolar a pauta salarial, a FUP protestou contra a ocorrência de mais um acidente fatal no Sistema Petrobrás, que vitimou um operador da Reman de apenas 26 anos, que havia sido admitido há apenas 14 meses na empresa. Os dirigentes tornaram a criticar duramente os programas de reestruturação da empresa, como Procop, PIDV, Plafort e Mobiliza, que buscam a otimização da produção, através da redução de custos e de efetivos. A FUP reiterou que esses programas da empresa violam o Acordo Coletivo de Trabalho e aumentaram consideravelmente os acidentes, principalmente nas refinarias.

Os dirigentes sindicais alertaram novamente os gestores da Petrobrás para o risco da empresa voltar a repetir tragédias do passado, como as explosões que afundaram a P-36 e mataram 11 trabalhadores em 2001 e o acidente com a plataforma de Enchova, há 30 anos, onde 37 petroleiros morreram. A FUP reiterou que a garantia de saúde e segurança para todos os petroleiros, a recomposição dos efetivos próprios e a igualdade de direitos para os trabalhadores terceirizados continuarão pautando as lutas da categoria. "Essa é uma pauta que vamos perseguir dia após dia. Não vamos dar sossego a vocês enquanto não garantirmos uma nova política de saúde e segurança", enfatizou o coordenador da FUP, José Maria Rangel.

Ato dia 02 marcará lançamento da campanha salarial
Caravanas com petroleiros de várias bases da FUP chegarão ao Rio de Janeiro na próxima terça-feira, 02, para participarem do ato nacional que marcará o início da campanha salarial da categoria. Além de reforçarem as reivindicações por saúde e segurança, os trabalhadores cobrarão a extensão para os aposentados e pensionistas dos níveis conquistados pelos petroleiros da ativa nos Acordos Coletivos de 2004, 2005 e 2006. Na campanha reivindicatória do ano passado, a Petrobrás se comprometeu a buscar junto com a Petros uma solução para essa demanda histórica dos assistidos do Plano Petros, conforme garante a Cláusula 181 do ACT.

Até agora, no entanto, a extensão dos níveis foi garantida somente para os cerca de três mil aposentados e pensionistas com ações judiciais que já foram transitadas em julgado e executadas. Os demais assistidos que pleiteiam a correção de seus benefícios (cerca de 30 mil petroleiros e pensionistas) continuam sem uma solução da Petrobrás, que alega dificuldades jurídicas, usando como argumentos pareceres de suas assessorias e da Petros. A FUP exige que a Petrobrás cumpra o que foi acordado e garanta a extensão dos níveis para todos.

Fonte: FUP

Sábado, 23 Agosto 2014 16:18

O Sindipetro Paraná e Santa Catarina vai realizar 17 sessões de assembleia, entre os dias 27 e 29 de agosto, para debater e deliberar sobre o indicativo do XVI Congresso Nacional da FUP de aprovação da pauta de reivindicações da campanha do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2014/2015 no Sistema Petrobrás. Confira as datas, horários e locais na tabela abaixo.

Além disso, também estará em pauta a autorização para o Sindicato ingressar com ação judicial para seus associados a fim de reivindicar o tempo dispensado a maior que a jornada normal de 8 horas com compensação ou não (exclusivo para os associados lotados no regime admistrativo).

Ainda em pauta, a deliberação quanto a assembleia geral extraordinária em caráter permanente e estado de greve, deliberação e encaminhamentos sobre o indicativo nacional de mobilizações a partir do dia 02 de setembro para lutar por condições seguras de trabalho e contra a precarização provocada pelas terceirizações, e reavaliação da decisão da Comissão de Ética de expulsão de associados do Sindipetro referente à greve de 2010 (exclusivo repar).

O Edital de Convocação de Assembleia está disponível no ícone abaixo.

Calendário das assembleias

BASE

LOCAL

DATA

HORÁRIO

Araucária/PR

Em frente à REPAR / Grupo 5

27/08/2014

15h00

Em frente à REPAR / Grupo 3 + Administrativo

28/08/2014

07h00

Em frente à REPAR / Grupo 2

28/08/2014

15h00

Biguaçu/SC

Em frente ao Restaurante Meurer

Estrada Geral Santa Cruz, s/nº, Biguaçu-SC.

28/08/2014

14h30

Curitiba/PR

SEDE DO SINDIPETRO PR/SC EM CURITIBA/PR

R. LAMENHA LINS, 2064 + Grupos 1 e 4 REPAR

29/08/2014

17h30

Guaramirim/SC

Em frente ao TEMIRIM

29/08/2014

10h30

Itajaí/SC

Em frente ao TEJAÍ

28/08/2014

12h30

Em frente à UO-SUL

28/08/2014

10h00

Joinville/SC

REGIONAL DO SINDIPETRO EM JOINVILLE/SC

Rua Elly Soares nº 127, Bairro Floresta

28/08/2014

18h30

Paranaguá/PR

REGIONAL DO SINDIPETRO EM PARANAGUÁ/PR

R. Odilon Mader, 480 – Estradinha

28/08/2014

18h00

Em frente ao TEPAR

29/08/2014

07h00

São Francisco do Sul/SC

Em frente ao TEFRAN

29/08/2014

12h15

Em frente ao TEFRAN/Grupo de Turno

29/08/2014

15h00

São Mateus do Sul/PR

REGIONAL DO SINDIPETRO EM SÃO MATEUS DO SUL/PR + Grupos 2 e 4 SIX

28/08/2014

17h15

Em frente da SIX - Grupo 5

28/08/2014

15h00

Em frente da SIX - Grupo 3 + Administrativo

29/08/2014

07h00

Em frente da SIX - Grupo 1

29/08/2014

15h00

 

Quarta, 20 Agosto 2014 20:02

Na tarde desta quarta-feira, 20, a FUP foi informada sobre o falecimento do trabalhador que foi vítima de explosão no último sábado 16, na Reman. Antonio Rafael Santana tinha 26 anos, era engenheiro civil, admitido como operador da Petrobrás na área de Urucu, mas trabalhava na refinaria, há quatro meses.

A explosão ocorreu às 22h50 de sábado, quando o trabalhador deu partida no carro, para fazer uma ronda na Unidade de Hidrotratamento da refinaria. Rafael teve 75% de queimaduras no corpo e, devido ao estado grave de saúde em que encontrava-se, não pode ser transferido para o Hospital da Força Aérea do Rio de Janeiro. A Petrobrás ainda não confirmou, mas a causa do acidente pode ter sido um vazamento de gás.

Seis acidentes em uma semana
No mesmo dia, outro acidente aconteceu, mas na Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), onde um operador da U-1530 realizava manobra de drenagem, quando foi atingido por mistura de MIBK/ÓLEO (produto com temperatura de 180o C). Ele sofreu irritações na face, pescoço e olhos. A Reduc registrou três acidentes na última terça-feira (12). Na U-2200, a vítima teve cortes na região do braço. Na Subestação elétrica, Sub-340, um trabalhador teve ferimentos no rosto. Já o último, na U-2500, um armador de andaime cortou o supercílio.

Na Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), em Cubatão-SP, um operador teve cerca de 20% do corpo queimado nesta terça-feira (19), durante o procedimento de LIBRA (libragem). Ele estaria bloqueando uma válvula para a remoção de uma outra válvula de carga para o forno, a fim de iniciar a operação, quando uma mangueira sob pressão se soltou e causou os ferimentos.

Histórico de acidentes na Reman
A Refinaria de Manaus tem um histórico de acidentes graves envolvendo trabalhadores. Em dezembro de 2013, uma explosão feriu três operadoradores da Petrobrás de uma só vez. Em setembro de 2010, a técnica de operação, Renata Benigno, foi vítima de um grave acidente na refinaria e morreu após 10 dias de internação.

Fonte: FUP

Terça, 19 Agosto 2014 19:26

Uma série de acidentes foi registrada nos últimos dias e coloca mais uma vez a política de (in)segurança da Petrobrás em xeque. Enquanto o lucro for a prioridade máxima da Companhia, as vidas dos trabalhadores seguirão em risco.

O primeiro acidente foi uma explosão na área de ETDI da Refinaria de Manaus (Reman), ocorrida às 22h50 do último sábado (16), feriu o operador Antonio Rafael Santana, de apenas 24 anos, que teve 75% do corpo queimado. O trabalhador deve ser transferido para o Hospital da Força Aérea Brasileira, no Rio de Janeiro, mas a remoção só poderá ser realizada quando o quadro estiver estabilizado. Seu estado de saúde é gravíssimo.

No mesmo dia aconteceu outro acidente, desta vez na Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), onde um operador da U-1530 realizava manobra de drenagem quando foi atingido por mistura de MIBK/ÓLEO (produto com temperatura de 180o C). Ele sofreu irritações na face, pescoço e olhos. A Reduc registrou três acidentes na terça-feira passada (12). Na U-2200, a vítima teve cortes na região do braço. Na Subestação elétrica, Sub-340, um trabalhador teve ferimentos no rosto. Já o último, na U-2500, um armador de andaime cortou o supercílio.

Na Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), em Cubatão-SP, um operador teve cerca de 20% do corpo queimado nesta terça-feira (19), durante o procedimento de LIBRA (libragem). Ele estaria bloqueando uma válvula para a remoção de uma outra válvula de carga para o forno, a fim de iniciar a operação, quando uma mangueira sob pressão se soltou e causou os ferimentos.  

Sexta, 08 Agosto 2014 19:28

Nº 1332

Terça, 05 Agosto 2014 19:33

No dia primeiro de agosto, a FUP voltou a reunir-se com as gerências corporativas de RH, Serviços Compartilhados e AMS para cobrar uma resposta da Petrobrás para as propostas de melhoria no Benefício Farmácia, apresentadas pela Federação em junho. As cobranças feitas à empresa foram baseadas em questionamentos, queixas e sugestões apresentadas pelos usuários através do sistema de ouvidoria implantado pela FUP para monitorar e fiscalizar o benefício. A Petrobrás respondeu favoravelmente à boa parte das propostas apresentadas pela Federação, anunciando mudanças significativas para a melhoria do benefício, como a cobertura para medicamentos de reposição hormonal masculina e feminina, lubrificantes oculares, vitaminas e suplementos, e medicamentos para controle da obesidade.

Em relação à redução da burocracia e das exigências de análises técnicas, houve também avanços importantes que irão facilitar o dia-a-dia dos usuários. Principais mudanças: a lista de medicamentos sujeitos à análise técnica foi reduzida (veja relação abaixo); os usuários não precisarão mais apresentar nas farmácias um documento de identificação com foto, bastando a apresentação do cartão da AMS e a receita médica ou odontológica; o prazo de reembolso caiu de 12 para 10 dias no máximo (no caso de exigência de análise técnica). Além disso, conforme cobrado pela FUP, o reembolso passa a valer também parafarmácias credenciadas, quando estiver com o sistema fora do ar e se o medicamento depender de analise técnica e o usuário não puder esperar o tempo de liberação. O acompanhamento do reembolso também passará a ser feito através de um número de protocolo emitido no momento da solicitação.

Mais de um milhão de medicamentos consumidos
A Petrobrás informou que desde a implantação do novo benefício farmácia, em 31 de janeiro, 113.492 usuários utilizaram o benefício até 27 de julho. Nesse período, foram consumidos mais de um milhão de medicamentos (1.101.971) em 451.662 operações registradas, das quais 11.904 foram feitas através do sistema de delivery e 5.212, via reembolso. Os petroleiros e seus dependentes não desembolsaram nenhum tostão pelos medicamentos, a não ser a contribuição fixa mensal para manter o benefício. A Petrobrás, no entanto, continua calculando o valor desta contribuição com base na remuneração total do trabalhador e não no Salário Base, como prevê o Acordo Coletivo.  A FUP tornou a cobrar que a empresa corrija essa distorção, mas a Gerência de RH insiste que essa questão deve ser tratada na campanha reivindicatória e não no âmbito das discussões sobre o Benefício Farmácia.

Em relação ao atendimento da operadora do benefício, a e-Pharma, a Petrobrás informou que das 451 mil aquisições de medicamentos efetuadas até 27 de julho, o sistema funcionou sem falhas e que 99,7% das operações realizadas duraram menos de cinco minutos. A empresa esclareceu que nos últimos dois meses, as reclamações dos usuários caíram a menos da metade dos meses anteriores, refletindo a importância das intervenções da FUP cobrando a melhoria e agilização do atendimento.

Indicações para análise técnica:

    DIU hormonal (Mirena)
    Hepatites virais (B e C) orais e injetáveis
    Medicamentos para tratamento do HIV
    Medicamentos para Insuficiência renal crônica (oral e subcutâneo)
    Imunobiológicos (subcutâneos e intravenosos)
    Anticoagulantes (subcutâneo)
    Análogos de GnRH (intramuscular)/Hormônio de crescimento (subcutâneo)
    Análogos de GLP-1 injetáveis para Diabetes (Byetta e Victoza)
    Suporte à quimioterapia (eritropoetina e fator estimulador de colônias subcutâneo)
    Imunossupressores orais
    Champix para tabagismo
    Kit Thyrogen (tireotropina recombinante para CA diferenciado de tireóide)
    Analgésicos potentes (derivados opióides uso crônico e fentanil transdérmico)
    Medicamentos injetáveis para Osteoporose (intravenosos e subcutâneos)
    Medicamentos para Obesidade – IMC maior que 30 (Orlistrate, Sibutramina)
    Suplementos vitamínicos e alimentares (Indicações clínicas: Pós-operatório de Cirurgia Bariátrica, Doença das Paratireóides, Anemias Carenciais, Osteopenia/Osteoporose, Gestantes)
    Oncológicos Orais (checagem no sistema da AMS)
    Compras que ultrapassarem R$ 1.000,00 por usuário (somente por segurança, já que não há limite de compras)

 A FUP continuará lutando para acabar com todas as exigências de análise técnica.

Fonte: Imprensa FUP

Sexta, 01 Agosto 2014 19:46

Nº 1331

Quarta, 30 Julho 2014 14:07

As grandes chamas que saíram das tochas da Repar, em Araucária, na noite desta terça-feira (29), alarmaram a população que vive no entorno da refinaria e também dos que moram nos bairros da região Sul de Curitiba. O Corpo de Bombeiros recebeu muitas ligações que relataram um possível incêndio no parque industrial.

Informações preliminares levantadas pelo Sindipetro Paraná e Santa Catarina dão conta que houve uma ocorrência operacional e não um procedimento de manutenção, como foi divulgado na imprensa. O eixo de uma bomba do sistema de lubrificação do compressor de gases da Unidade de Desasfaltação e Craqueamento Catalítico Fluidizado (DCCF) arrebentou e a bomba reserva não respondeu de imediato conforme é projetado, o que causou a parada do compressor para prevenir danos.

Todos os produtos gerados naquela unidade (gás de refinaria, glp e nafta) foram direcionados para as três tochas da Repar, chamadas de flare, que são o sistema de segurança para despressurização em emergências, distúrbios operacionais ou partidas e paradas das unidades. A consequência disso foi a grande quantidade de fogo e fumaça preta nas tochas, o que acabou assustando a população. A situação foi normalizada por volta das 04h00 da madrugada de hoje (30/07).  

O Sindicato exige a participação no Grupo de Trabalho que vai investigar as causas da ocorrência nas bombas de lubrificação.  

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro