Mostrando itens por tag: petrobras
Segunda, 14 Outubro 2019 12:24

 Outubro decisivo para a categoria. Petroleiros e petroleiras estão mobilizados pela manutenção dos direitos e contra o desmonte do Sistema Petrobrás praticado pelo atual governo federal e pela gestão Castello Branco. Conheça os principais itens que prejudicam os trabalhadores 

Quinta, 10 Outubro 2019 19:58

Assembleias em Santa Catarina começam nesta quinta-feira (11)

Quinta, 10 Outubro 2019 13:37

 

O processo de privatização da Refinaria Getúlio Vargas (Repar), da Petrobrás, já está em andamento. Em virtude desse cenário, o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária (SISMMAR) vem a público repudiar a ação dos governos que pretendem entregar mais uma estatal lucrativa nas mãos de empresários milionários.

 

Para entender a importância da Repar para o município de Araucária, é essencial ter conhecimento de alguns dados. A refinaria é responsável por 80% do valor total de impostos arrecadados pela cidade, sendo que todo esse dinheiro hoje é investido em serviços públicos, como educação, saúde e assistência social, entre outros.

 

Ou seja, a estatal atualmente é responsável por grande parte da verba que é destinada aos serviços que são essenciais para a população de Araucária, como escola pública e postos de saúde, entre outros. A partir do momento em que for vendida, é importante ter consciência que os empresários milionários não têm essa preocupação com a população, pois miram apenas na lucratividade.

 

Vivemos em um momento político no qual boa parte dos políticos que estão no poder tentam vender a ideia de que os serviços públicos não são bons e, por isso, as estatais devem ser vendidas. Mas, isso não é verdade, pois se hoje as famílias precisam da escola pública para que os filhos tenham uma chance de estudo, como poderiam ficar sem as creches e escolas gratuitas?

 

É uma grande ilusão acreditar que o Sistema Único de Saúde (SUS), por exemplo, pode ser vendido porque não atende à expectativa da população. Uma pessoa que procura atendimento público em hospitais pode até não ter o atendimento com a rapidez desejada, mas as camadas mais pobres da sociedade teriam como pagar por esses serviços? Não.

 

Assim sendo, é preciso ter em mente que dependemos desses serviços públicos e precisamos protegê-los, bem como devemos também proteger as estatais, como a Repar, que contribuem muito com o desenvolvimento dos municípios brasileiros.

 

Uma vez que essa empresa for entregue na mão de empresários, outro problema também é a precarização do trabalho. Atualmente a Repar é responsável por 12% da produção nacional de petróleo e emprega centenas de trabalhadores. Se for vendida, esses funcionários não terão mais a garantia de que seus direitos trabalhistas serão respeitados pelos empresários que só pensam em lucrar e não se importam com a saúde e dignidade do trabalhador.

 

Por todos esses motivos, o SISMMAR se manifesta contrário à privatização da Repar e de todas as outras estatais do Brasil, como é o caso dos Correios. Em defesa da soberania nacional, o sindicato também tem participado, por meio de sua direção sindical, de todas as mobilizações e atos em defesa da educação e contra a privatização. Não aceitamos a venda do Brasil. Queremos o dinheiro do petróleo para a educação!

 

Via SISMMAR Araucária.

Sexta, 04 Outubro 2019 20:22

 

Durante a semana o Conselho Deliberativo da FUP esteve reunido em Curitiba e definiu pela realização de assembleias. Confira as datas! 

Quinta, 03 Outubro 2019 18:51

Petrobrás completa 66 anos de história. Desde que foi criada, em 03 de outubro de 1953, sempre foi alvo de disputas, porém, em 2019, com agenda ultraliberal, o recado dos trabalhadores, em relação ao desmonte da estatal, é dado nas ruas

Quarta, 02 Outubro 2019 17:56

Câmara, Senado e governo fazem acordo e leilão de mais de 15 bilhões de barris do pré-sal podem ficar com empresas estrangeiras, que não geram empregos no Brasil

Segunda, 30 Setembro 2019 21:09

 

Será que os gestores da Repar estão lendo Eduardo Galeano? Nunca fez tanto sentido a famosa frase do escritor uruguaio: “nos mijam e os jornais dizem que chove!”. Tudo porque os representantes da Petrobrás, em Araucária, falaram à imprensa que o incidente foi uma “parada programada”. Porém, para a entidades que defende os petroleiros, Sindipetro Paraná e Santa Catarina, o que houve no último fim de semana foi uma emergência operacional semelhante ao incidente do dia 19 de agosto (leia aqui).

Quarta, 25 Setembro 2019 20:14

 

Dia 03 de outubro acontece o ato público “Em Defesa da Petrobrás”. Neste dia também se comemora os 66 anos da maior estatal brasileira. Todos estão convidados a somar nessa manifestação tão importante

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro