Mostrando itens por tag: fup
Segunda, 14 Dezembro 2015 16:50

A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados (CME) realizou no último dia 10 uma audiência pública para discutir a legitimidade da venda de 49% da Gaspetro para o grupo japonês Mitsui, aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobrás no dia 23 de outubro, mas que é alvo de uma série de questionamentos na justiça.

Desde o dia 26 de outubro, a FUP cobra a suspensão da venda da subsidiária através de uma Ação Civil Pública, que serviu de base para o deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB-Ba) ingressar no dia 04 de novembro com um requerimento na Câmara, cobrando apuração das denúncias feitas pelos petroleiros. O Estado da Bahia, que também questiona na Justiça as mudanças acionárias na Gaspetro, obteve no dia 02 de dezembro uma liminar suspendendo a venda.

O diretor da FUP, Leonardo Urpia, que representou a entidade na audiência promovida pela CME, colocou sob suspeita a negociação, já que há fortes indícios de irregularidades, tráfico de influência e favorecimento na venda das ações da Gaspetro para o grupo japonês Mitsui, que é uma das controladoras da Vale, cujo diretor-presidente, Murilo Ferreira, ocupava na época a Presidência do CA da Petrobrás.

Além disso, vender por R$ 1,9 bilhão 49% da subsidiária é menos da metade das estimativas feitas pelos bancos JP Morgan e Brasil Plural que calcularam o negócio em 1,3 bilhão de dólares, ou seja, 5,6 bilhões de reais.

Fonte: FUP

Sexta, 11 Dezembro 2015 13:45

Nº 1363

Quinta, 10 Dezembro 2015 19:05

A Petrobrás enviou documento à FUP nesta quarta-feira, 09, agendando para a próxima quinta-feira, 17, a primeira reunião do Grupo de Trabalho da Pauta pelo Brasil, que é uma das grandes conquistas da última greve da categoria.

O Grupo de Trabalho terá 60 dias para elaborar um relatório com propostas para retomada dos investimentos e preservação da integração do Sistema Petrobrás, com base em alternativas elencadas pela Pauta pelo Brasil e em estudos técnicos que avaliam os impactos sociais da retração do setor.

Na próxima semana, a FUP informará à Petrobrás os nomes dos sindicalistas que integrarão o Grupo de Trabalho, que será paritário, com representantes da Federação e da empresa.

 
Fonte: FUP

Terça, 08 Dezembro 2015 18:39

Em reunião realizada sexta-feira (04) com a Petrobrás, a FUP tratou de diversas demandas da categoria:

Dias de greve - ficou agendada uma reunião no início de janeiro para discutir o procedimento que será dado pela empresa. Foi cobrado do RH que reforce a orientação para que as unidades não proponham qualquer tipo de compensação ou pagamento até fechamento das tratativas com a FUP. Os trabalhadores, portanto, não devem assinar qualquer documento relativo aos dias parados.

GT paritário - a FUP propôs uma reunião dia 10 de dezembro para discutir a formação e implementação do grupo que tratará da Pauta pelo Brasil. A empresa ficou de confirmar.

Adiantamento da PLR - após cobrança da FUP do cumprimento do Acordo da PLR, o RH informou que está sendo concluído o fechamento das metas e indicadores correspondentes aos três primeiros trimestres para apresentar à entidade.

Benefício Farmácia - a Petrobrás anunciou que assinou no dia 02 contrato com a Funcional Card, que passará a operar o benefício a partir de 04 de janeiro. A FUP cobrou que o programa seja mantido nos mesmos moldes em que funcionava, antes de ser suspenso pela empresa. Também foi cobrada uma reunião com a Petrobrás e a nova operadora para discutir o funcionamento do benefício e o pagamento dos reembolsos acumulados nos últimos meses pelos trabalhadores da ativa, aposentados e pensionistas.

Dobradinha - foi cobrado uma posição sobre as mudanças no pagamento das horas extras a partir do feriado de 07 de setembro, que foram pagas abaixo do que era praticado pela empresa. No próximo dia 09, haverá uma reunião específica para tratar dessa demanda.

Bi-tributação do INSS - a FUP cobrou que não haja desconto do INSS no pagamento das diferenças remuneratórias referentes à quitação do ACT para os trabalhadores que já contribuem no teto e para o Plano Petros-1. A empresa irá verificar e corrigir os casos em que houver bi-tributação.

Fonte: FUP

Quarta, 02 Dezembro 2015 16:05

Conforme compromisso estabelecido com a FUP e seus sindicatos, a Petrobrás enviou documento à Federação na manhã desta sexta-feira, 27, agendando reunião para tratar dos dias parados durante a greve nacional dos petroleiros, realizada entre o dia 01 e 20 de novembro.

 

A reunião será no dia 04 de dezembro, na sede da empresa no Rio de Janeiro. 

 

Clique aqui para acessar o documento

 

Fonte: FUP

Segunda, 30 Novembro 2015 13:59

Nº 1362

Quinta, 26 Novembro 2015 21:23

A FUP e 12 de seus 13 sindicatos assinaram nesta quinta-feira, 26, o Acordo Coletivo de Trabalho 2015/2017, garantindo a manutenção dos direitos conquistados ao longo dos últimos anos.

 

O Sindipetro Ceará/Piauí ainda submeterá o Acordo à avaliação das assembleias, que acontecerão entre os dias 02 e 07 de dezembro.

 

A Petrobrás atendeu à cobrança da Federação e antecipou para o dia 07 a quitação das diferenças remuneratórias, retroativas a setembro.

 

Fonte: FUP

Quinta, 26 Novembro 2015 12:33

Nesta quinta-feira, 26, a FUP e seus sindicatos assinam o Acordo Coletivo de Trabalho 2015/2017, que garante a manutenção dos direitos conquistados ao longo dos últimos 13 anos. Será cobrado à Petrobrás que altere o calendário de pagamento, antecipando para o início de dezembro a quitação das diferenças remuneratórias, retroativas a setembro.

A maior greve da categoria nos últimos 20 anos denunciou os prejuízos econômicos e sociais que o plano de desinvestimentos tem causado ao país e garantiu aos trabalhadores disputar os rumos da empresa, fato inédito até então. Além disso, os petroleiros preservaram todas as conquistas do Acordo Coletivo, fazendo a Petrobrás recuar nas propostas iniciais de corte de direitos e de redução de salários.

Após a assinatura do ACT, as entidades sindicais iniciarão o debate com a empresa sobre os dias de greve e a formação do Grupo de Trabalho paritário, que terá 60 dias para elaborar um relatório com propostas para retomada dos investimentos e preservação da integração do Sistema, com base em alternativas elencadas pela Pauta pelo Brasil e em estudos técnicos que avaliam os impactos sociais da retração do setor.



Após denúncias da FUP, Comissão da Câmara investiga venda suspeita de 49% da Gaspetro

A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados Federais (CME) realiza nesta quinta-feira (26), pela manhã, uma audiência pública para debater a venda de 49% da Gaspetro, aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobrás no dia 23 de outubro, mas que é alvo de uma série de questionamentos na justiça. A partir de denúncias da FUP, que cobra a suspensão da venda, através de uma Ação Civil Pública, o deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB-Ba) deu entrada no dia 04 de novembro em um requerimento na CME, cobrando apuração dos fatos.

Nesta quinta, será realizada a primeira audiência para discutir as suspeitas de irregularidades, tráfico de influência e favorecimento na venda das ações da Gaspetro para o grupo japonês Mitsui, pelo montante de R$ 1,9 bilhão. A FUP, que será uma das entidades ouvidas na audiência, além de se contrapor à abertura do capital da subsidiária, questiona a forma como se deu o processo de negociação com a Mitsui, que é uma das controladoras da Vale, cujo diretor-presidente, Murilo Ferreira, ocupava na época a Presidência do Conselho de Administração da Petrobrás.

Além disso, o valor negociado está muito abaixo das estimativas de mercado. Os bancos JP Morgan e Brasil Plural estimaram que a Petrobrás poderia arrecadar com a venda US$ 1,3 bilhão, ou seja, R$ 5,6 bilhões, mais do que o dobro do valor em reais proposto pela Mitsui. Todos esses questionamentos constam da Ação Civil Pública que a FUP ingressou no dia 26 de outubro na Justiça Federal, cobrando a suspensão da venda de 49% da Gaspetro.

Fonte: FUP

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro