Mostrando itens por tag: Sindiquímica PR
Terça, 27 Março 2018 19:35

Manifestação aconteceu nesta terça-feira (27), em Quedas do Iguaçu, na região Oeste do Paraná.

Sexta, 10 Novembro 2017 18:10

 

Na próxima terça-feira (14), o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro PR e SC), a Federação Única dos Petroleiros (FUP), o Sindicato dos Petroquímicos (Sindiquímica-PR) e o mandato do deputado estadual Tadeu Veneri (PT-PR) realizarão um ato na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em defesa do fortalecimento da presença da Petrobrás no Paraná, às 19h.

 

A mobilização tem como objetivo conscientizar a população e os parlamentares sobre a importância da estatal no desenvolvimento econômico e social do estado, principalmente após o anúncio de venda da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen-PR).

 

As unidades da Petrobrás impulsionam a economia das cidades onde estão instaladas e de todo o Paraná por meio da geração de empregos e dos impostos e royalties, sem contar o desenvolvimento nacional. Além disso, as unidades de fertilizantes são estratégicas para um projeto de nação com independência e soberania.

 

A privatização da Fafen-PR coloca em risco sua contribuição com a sociedade e todos os benefícios que a Petrobrás pode gerar por intermédio de suas subsidiárias.

 

Participe desse ato em defesa da Petrobrás como patrimônio nacional, fortalecendo a luta contra as privatizações.

 

:: Serviço

Ato em Defesa dos Investimentos da Petrobrás no Paraná

Data: 14 de novembro (terça-feira)

Horário: 19h00

Local: Plenarinho da Alep

Organização:  FUP, Sindipetro PR e SC, Sindiquímica-PR e deputado Tadeu Veneri

 

Fonte: Sindiquímica-PR

Quarta, 13 Setembro 2017 20:47

Anúncio da privatização da Fafen-PR, feito pela direção golpista da Petrobrás na segunda-feira (11), motivou a manifestação das categorias co-irmãs.

Segunda, 11 Setembro 2017 15:18

 Pedro Parente anuncia privatização das fábricas de fertilizantes. Sindipetro PR e SC reafirma luta conjunta com os petroquímicos para barrar o desmonte da Petrobrás.

Quinta, 08 Junho 2017 18:53

Evento começa na noite desta sexta-feira (09) e debaterá a conjuntura e as pautas para a Campanha Reivindicatória 2017 dos trabalhadores da Petrobrás. Confira a programação.

Terça, 28 Março 2017 15:20

 

Em assembleia unificada realizada na manhã desta terça-feira (28), em Araucária, região metropolitana de Curitiba, petroleiros e petroquímicos que trabalham em horário administrativo na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), respectivamente, rejeitaram a proposta da Petrobrás para a compensação das horas referentes às vésperas de feriados.

 

A intenção da empresa seria estender a jornada em 15, 30 ou 60 minutos diários. No entanto, a decisão da assembleia foi de reiterar a compensação nos moldes como era feita anteriormente, ou seja, o ressarcimento das horas mediante diminuição do horário do almoço. A posição dos trabalhadores é de que os sindicatos não estão autorizados a negociar outra forma de compensação que não seja a redução do intervalo da refeição.

 

Apesar da deliberação da assembleia, os gestores das unidades devem aplicar a extensão da jornada a partir de hoje. “A empresa tem decidido unilateralmente a forma de compensação, à revelia da vontade dos trabalhadores e em descumprimento da cláusula 106 do ACT, que prevê a solução de conflitos locais pela via negocial. O Sindicato já impetrou uma ação coletiva na Justiça do Trabalho na qual pleiteia o pagamento de horas extras por conta das imposições da empresa”, explicou Mário Dal Zot, presidente do Sindipetro Paraná e Santa Catarina.

Sexta, 24 Março 2017 18:47

Petroleiros e petroquímicos irão se reunir em assembleia unificada na próxima terça-feira (28), às 07h30, em frente à Repar, para debater e deliberar sobre a compensação das horas das vésperas de feriados dos trabalhadores enquadrados no regime administrativo, conforme previsto na cláusula 106ª do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da Petrobrás e 56ª do ACT da Araucária Nitrogenados (Fafen-PR). 

 

*Confira o Edital de Convocação de Assembleia nos anexos abaixo.

Segunda, 17 Outubro 2016 17:37

 

Na manhã de hoje (17), um trabalhador terceirizado da empresa MANSERV foi vítima fatal de um acidente na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen-PR). O funcionário sofreu uma queda de uma altura de aproximadamente 9 metros durante a manutenção na unidade.

 

Para a diretoria do Sindiquímica-PR, essa foi uma das consequências das práticas adotadas pelas últimas gerências da Fafen-PR, que praticaram assédio moral e pressão sobre os trabalhadores – sujeitos a uma rotina estressante e até a punições, em caso de acidentes.

 

Em vez de se resolver a raiz dos problemas, investindo no aumento do quadro de trabalhadores, para o fim de terceirizações e políticas de segurança, as ingerências da Petrobrás na unidade perpetuaram e até reforçaram as práticas de assédio, de violências e o risco de acidentes aos trabalhadores.

 

Novamente, percebe-se como a terceirização é danosa, pois a vítima estava há muitos anos lotada na Fafen-PR como terceiro, sem nenhum amparo de segurança. Como de costume, a produtividade foi colocada acima da vida, tirando, de mais um trabalhador, o direito de viver. “O dia a dia dentro da Fafen-PR é de tensão, pois os trabalhadores são pressionados o tempo todo. Para os terceirizados, o problema é ainda mais greve, pois sofrem com mais assédio moral e menos condições de segurança para realização das suas atividades. É uma política de punição, ao invés de soluções, onde inclusive recentemente um trabalhador sofreu um acidente e ainda foi advertido pela gerência”, conta o diretor do Sindiquímica-PR e secretário da Saúde da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Gerson Luiz Castellano.

 

Por mais contraditório que seja, o gerente da Fafen-PR deixou o cargo recentemente para assumir a Política de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) da Petrobrás. “A gente fica assustado, porque é esse gerente que está à frente das políticas de segurança da empresa. A vida é muito preciosa para que alguns gestores brinquem com ela”, afirma Castellano.

 

O Sindiquímica-PR e a FUP cobrarão para que seja realizada uma investigação séria, a fim de descobrir os reais motivos desse acidente. Este foi o primeiro acidente fatal em 34 anos de operação da unidade. As entidades também, neste momento, se solidarizam à família da vítima e esperam que a empresa não tente se isentar da responsabilidade sobre o acidente, como um dos gerentes já tentou fazer hoje pela manhã.

 

Ato

Amanhã (18), às 6h30, o Sindiquímica-PR, o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e de Santa Catarina (Sindipetro PR/SC), e o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Montagem, Manutenção e Prestação de Serviços (Sindmont) realizarão um ato em frente à Fafen-PR, como forma de indignação e revolta com o ocorrido. Os trabalhadores estão convocados para se juntar à mobilização, como forma de pressão para a prevenção dos acidentes nas unidades da Petrobrás.

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro