Zenith Forex carreira Jack Daniels Melhor Forex Estratégia Forex trading para ganhar dinheiro Sistema de trade de liberalização Análise do Mercado Forex PDF Forex Mundo Cargo Filipinas Truques de negociação de opções bacanas Swing Forex Estratégia Como as Forex Centrum Forex Taxa de câmbio Dia Trading Forex Live YouTube forex utah. O leilão de swap forex é Opções binárias Rich Forex Trading. NBAD Forex Trading. Ponto Pivot Opções binárias Trading Strategy Videos Estratégia de negociação de jacaré Você tem sistema de Forexchange grupo forex Opções binárias S & P 500 Bangladesh Negociação multi estratégia Indicador de Alerta de Bollinger Bands MT4 Terminologia Forex para iniciantes PDF Forex Broker Killer 1 minuto Estratégia Barclays Zâmbia Forex. Data de Banco Estadual da Índia Forex Ramos Pune man Aprenda Forex Negociar software de sistema de negociação automática state dating laws in Sint Genesius Rode Belgium speed dating central Natal Brazil ヒマラヤ外国為替プライベートリミテッドリミテッド toerana hookup Antsirabe Madagaskar
Mostrando itens por tag: Petros
Quinta, 09 Novembro 2017 13:49

Na primeira reunião do Grupo de Trabalho paritário, que discute saídas para o déficit do Plano Petros-1, os representantes da FUP cobraram a suspensão da proposta de equacionamento apresentada pela Petros.

 

A reunião do GT foi realizada nesta segunda-feira, 06, com representações da Petros, Petrobrás, FUP e sindicatos.

 

A proposta apresentada pela FUP é que o equacionamento seja suspenso até a conclusão dos trabalhos, pois o grupo está discutindo alternativas para reduzir o impacto para os participantes e assistidos do Plano Petros-1. Os representantes da Petrobrás informaram que irão se manifestar sobre a reivindicação, após consultarem a direção da empresa.

 

A FUP também propôs que seja agendada uma reunião do GT com a Previc (Secretaria de Previdência Complementar) para discutir a suspensão do equacionamento.  A próxima reunião do Grupo será no dia 14. O conselheiro eleito, Paulo César Martin, fala sobre o GT, no vídeo abaixo, ao final da matéria.

 

Entenda

No dia 12 de setembro, o Conselho Deliberativo da Petros aprovou um plano de equacionamento do déficit do Plano Petros-1 pelo teto, impondo aos participantes e assistidos a conta de problemas estruturais que são de responsabilidade exclusiva dos gestores, como estamos há anos denunciando.

 

A FUP reconhece que o Plano Petros-1 precisa de novos aportes financeiros, mas isso deve ser feito de forma que penalize o mínimo possível os petroleiros e seus familiares. 

 

No dia 19 de setembro, a Federação ingressou na justiça com uma Ação Civil Pública para barrar a cobrança abusiva das contribuições adicionais dos participantes e assistidos do PP-1.

 

Saiba mais, acessando o histórico de notícias e encaminhamentos da FUP sobre o PP-1.

Sexta, 13 Outubro 2017 16:41

As reuniões do Grupo de Trabalho Paritário para debater novas estratégias para o Plano Petros 1 terão início no dia 06 de novembro. O GT, solicitado pela FUP, tem como objetivo desenvolver estudos complementares para a redução do impacto do Plano de Equacionamento do Déficit aos trabalhadores.

 

O Grupo será formado por representantes indicados pelos Sindicatos filiados à Federação, Petrobrás, Petros, além dos outros 5 Sindipetros não filiados. Da mesma forma serão feitas as indicações para a assessoria jurídica. Os nomes dos membros do GT devem ser encaminhados à Petrobrás até o dia 20/10, conforme ofício.

 

Sexta, 06 Outubro 2017 19:16

Aposentados têm até o dia 20/10 para fazerem o procedimento. Ativos devem fazer o recadastramento até 17/10

Sexta, 06 Outubro 2017 19:12

Aposentados têm até o dia 20/10 para fazerem o procedimento. Ativos devem fazer o recadastramento até 17/10

Segunda, 25 Setembro 2017 17:04

Nº 1394

Terça, 19 Setembro 2017 22:34

Nesta terça-feira, 19, a FUP ingressou na justiça com uma Ação Civil Pública para barrar a cobrança das contribuições adicionais dos participantes e assistidos do Plano Petros-1, em função do equacionamento abusivo e injusto que foi aprovado pelo Conselho Deliberativo da Petros. Como a FUP vem alertando há décadas, o déficit do plano é majoritariamente estrutural, fruto de uma série de problemas que não foram resolvidos ao longo de seus 47 anos de existência. Os gestores da Petros desconsideraram essas questões e querem impor um ônus excessivo para os petroleiros.

 

O plano de equacionamento foi aprovado antes mesmo da conclusão do recadastramento dos participantes e assistidos do PP-1, cujo resultado pode alterar significativamente o valor de componentes do déficit, como, por exemplo, o da Família Real, cujo impacto é de R$ 5,2 bilhões. Além disso, a origem e valores deste e demais fatores geradores do déficit do plano deveriam ter sido identificados para que os participantes e assistidos fossem o menos possível impactados na parte da conta que lhes é de responsabilidade. O equacionamento também precisa levar em consideração as submassas de repactuados e não repactuados.

 

Essas e outras questões são questionadas pela FUP na Ação Civil Pública que cobra a suspensão das contribuições adicionais determinadas pelo plano de equacionamento e exige a realização de auditorias externas e independentes do déficit. A Federação reconhece que o Plano Petros-1 precisa de novos aportes financeiros e sempre esteve aberta a negociar uma solução para o problema, como fez durante o Acordo de Obrigações Recíprocas, cujos aportes foram fundamentais para impedir a insolvência do plano.

 

A busca de uma solução negociada para o déficit do PP-1 é fundamental para preservar os direitos dos participantes e assistidos e impedir que eles sejam penalizados por uma conta abusiva, que pode inviabilizar suas vidas. Além disso, a sustentabilidade do plano no longo prazo só será garantida se os problemas estruturais que causaram o déficit forem resolvidos.

 

FUP

Terça, 19 Setembro 2017 19:09

O Sindipetro Paraná e Santa Catarina prossegue nesta semana com as reuniões para debater o plano de equacionamento do Petros 1. Nesta segunda-feira (18) foi realizada a reunião na Regional Sindical de São Mateus do Sul e nesta terça (19), logo mais às 17h30, acontece na Regional de Paranaguá.

 

Já nesta quarta-feira (20) serão realizadas duas reuniões na Sede de Curitiba, às 10h00 e às 18h30. A série de encontros termina na quinta-feira (21), com a atividade na Regional de Joinville, às 17h00.

 

As reuniões discutem o plano e as estratégias para combater, ou pelo menos minimizar, os impactos nos trabalhadores. 

 

Calendário de Reuniões sobre o Petros 1

Paranaguá-PR: 19/09 (terça-feira), às 17h30

Curitiba-PR: 20/09 (quarta-feira), às 10h00

Curitiba-PR: 20/09 (quarta-feira), às 18h30

Joinville-SC: 21/09 (quinta-feira), às 17h00

Sexta, 15 Setembro 2017 19:02

Para atender demandas da base, o Sindipetro Paraná e Santa Catarina ampliou as reuniões debater sobre o plano de equacionamento do Petros 1. Aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fundação na última terça-feira (12), o plano impõe aos participantes e assistidos a conta de problemas estruturais que são de responsabilidade exclusiva dos gestores.

 

As reuniões discutirão o plano e as estratégias para combater, ou pelo menos minimizar, os impactos nos trabalhadores. Elas acontecerão na próxima semana, na Sede e Regionais do Sindipetro. Confira o novo calendário abaixo:

 

São Mateus do Sul-PR: 18/09 (segunda-feira), às 17h30

Paranaguá-PR: 19/09 (terça-feira), às 17h30

Curitiba-PR: 20/09 (quarta-feira), às 10h00

Curitiba-PR: 20/09 (quarta-feira), às 18h30

Joinville-SC: 21/09 (quinta-feira), às 17h00

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro