Segunda, 12 Abril 2021 01:20

Repar: em defesa da vida, agora é greve!

Sindicato faz orientações aos petroleiros que entram em greve sanitária nesta segunda-feira (12).

 

Davi Macedo - Sindipetro PR e SC

 

Os trabalhadores da refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, região metropolitana de Curitiba, deliberaram por deflagrar greve sanitária a partir da zero hora desta segunda-feira (12).

 

O motivo é o não atendimento da reivindicação de suspensão da parada de manutenção da unidade, procedimento que incluirá mais dois mil empregados na rotina diária do local, causando riscos de contaminações pelo coronavírus. A Petrobrás insiste em manter tais trabalhos no momento mais crítico da pandemia. Cabe destacar que os gestores adiaram a parada por duas vezes, em setembro de 2020, por problemas de contratação de empresas, e em março de 2021, para evitar a disseminação do vírus.

 

É importante lembrar que esses dois mil trabalhadores vêm de várias regiões do país e se concentrarão em Araucária, situação que coloca a saúde pública do município em risco, já que viagens interestaduais não são recomendadas neste cenário de agravamento da pandemia no Brasil.

 

Em uma live realizada pelo Sindipetro Paraná e Santa Catarina na última sexta-feira (assista aqui!), Lucas Ferrante, biólogo e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), apresentou dados alarmantes e que justificam a suspensão da parada de manutenção na Repar. Os estudos mostram que das pessoas que são hospitalizadas por causa da contaminação pelo coronavírus, 70% desenvolvem problemas renais crônicos e permanentes, 40% apresentam danos cerebrais, além de outras sequelas cardíacas, pulmonares, motoras e cognitivas. “Trabalhador morto não gera renda e sequelado não consegue trabalhar”, cravou o pesquisador.

 

De acordo com Ferrante, a variante do vírus identificada em Manaus tem duas vezes mais capacidade de infecção do que a versão que gerou a pandemia e circula no Paraná, condição que pode ser piorada com a migração de centenas de trabalhadores de todo o país para uma pequena cidade do estado. A equipe de pesquisa científica do biólogo foi responsável por prever a calamidade do coronavírus no Amazonas. Por requisição do Sindipetro PR e SC, o pesquisador prepara uma nota técnica sobre a pandemia em Araucária e os riscos que a parada de manutenção na Repar pode causar na região. O estudo subsidiará as ações do Sindicato em defesa da saúde da categoria e da comunidade local.

 

Orientações sobre a greve

O primeiro corte de rendição de turno na refinaria acontece às 07h00 desta segunda-feira (12). A orientação fundamental é para os petroleiros não irem à Repar por se tratar de uma greve sanitária. Fiquem em casa!

 

Durante o movimento, o Sindicato realizará reuniões virtuais diárias pela plataforma Zoom, sempre às 16h00, com todos os trabalhadores da Repar para avaliação da greve e definição das próximas ações. Para participar, será necessária inscrição prévia através do número (41) 98805-2367 (Liliane – Whatsapp ou ligação). Os dados requisitados são nome completo, número de matrícula, unidade, setor, se está no regime administrativo ou de turno e qual o grupo.

 

Confira a live deste domingo sobre orientações aos grevistas (clique aqui!).

 

 

Última modificação em Segunda, 12 Abril 2021 01:44

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro