Imprimir esta página
Sexta, 05 Março 2021 23:08

“Não deixem vender o Brasil”, CUT lança campanha em defesa das estatais

Campanha publicitária de âmbito nacional terá inserções em TVs, rádios abertas e tem o objetivo de explicar para a população o que significa essa entrega do patrimônio brasileiro

 

 

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) em parceria com seus sindicatos, federações e confederações lançou na última quarta-feira (24) uma campanha nacional em defesa das empresas estatais. Assinada como “Não deixem vender o Brasil” ela enfatiza que ser patriota é defender o que é nosso. A iniciativa também alerta sobre o que o brasileiro perde com as privatizações da Petrobras, Eletrobras, dos bancos públicos (Caixa e Banco do Brasil), dos Correios, do sistema portuário e da Casa da Moeda.

 

De acordo com o Secretário Nacional de Comunicação da CUT, Roni Barbosa, o objetivo da campanha é “sensibilizar toda a sociedade brasileira para os problemas que o Brasil enfrentará em cada setor, caso essas empresas sejam privatizadas. E quando se fala nesses problemas, significa prejuízos para o povo brasileiro”.

 

Ele também lembrou do NaPressão ferramenta on-line que todo brasileiro pode cobrar dos parlamentares, diretamente em seus canais de comunicação, ações contra a venda das estatais. “O NaPressão foi reformulado para essa nova fase. Faremos pressão simultânea na Câmara e no Senado e todo cidadão e cidadã pode pressionar os parlamentares para que barrem esse processo de entrega do Brasil”, diz Roni.

 

Para atender aos interesses do mercado o ministro Paulo Guedes e o governo Bolsonaro fazem uma ofensiva contra o patrimônio brasileiro, colocando à venda as estatais que geram anualmente bilhões de reais para o país. Essa entrega para o setor privado põe o lucro antes do interesse do povo. Por exemplo, se o governo federal conseguir vender as refinarias da Petrobras, o Brasil deixará de ser um produtor de derivados de petróleo para ser um mero exportador de matéria prima.

 

Como resultado o país irá vender petróleo cru a um baixo preço e importar os combustíveis a preço de ouro. Outra consequência dessa sanha privatista de vender o Brasil é a diminuição do crédito para a população. Os bancos públicos são fundamentais para a sociedade, juntos a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e o BNDES são responsáveis por quase 80% do crédito em todo o país. São os bancos públicos que disponibilizam a maior parte do crédito habitacional, sozinha a Caixa oferta 69% de todo o montante.

 

A política privatista deste governo é um atentado ao interesse nacional e entrega o patrimônio brasileiro à preço de banana, como foi o caso da Refinaria Landulpho Alves (Rlam). Ela foi vendida ao grupo Mubadala Capital pela metade do preço, conforme análise realizada pelo Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo (Ineep). Como se isso tudo não bastasse a entrega das estatais é feita à revelia do brasileiro e brasileira, conforme revelou pesquisa Datafolha 67% dos entrevistados são contrários à venda dos Correios, Petrobras e Eletrobras, Banco do Brasil e Caixa.