Imprimir esta página
Sexta, 15 Janeiro 2021 17:00

FUP torna a cobrar da Petrobrás solução para descontos indevidos de horas dos trabalhadores

Em documento enviado à Petrobrás no dia 06 de janeiro (DNE 01/2021), a FUP tornou a cobrar explicações sobre descontos nos bancos de horas dos trabalhadores e uma série de outros problemas

 

 

Documento enviado à empresa detalha, além do banco de horas, problemas em relação à frequência, como inexistência de cálculo das HEs trabalhadas e não pagas (principalmente a partir de agosto do ano passado), exigência para que os próprios trabalhadores façam o apontamento de suas horas trabalhadas e o fato do tempo dos trabalhadores offshore nos hotéis (pré-embarque) está sendo computado como saldo negativo.

 

Soma-se a isso o desconto dos dias parados na greve de fevereiro de 2020, que, por acordo, deveriam ter metade das horas devidas compensadas, o que não foi possível por conta da pandemia. Agora, a Petrobrás quer cobrar tudo de uma vez.

 

No dia 14 de dezembro de 2020, a FUP já havia solicitado ao RH (através do DNE 118/2020) esclarecimentos sobre os descontos indevidos nos banco de horas dos trabalhadores, tanto no regime de turno, quanto no trabalho remoto, apesar dos trabalhadores durante a pandemia terem reduzido consideravelmente as horas extras, o que, consequentemente, praticamente zerou o banco de horas da maioria dos trabalhadores.

 

Na quarta-feira, 13, a Petrobrás, finalmente, respondeu à FUP, informando que “não foi verificado pela gerência responsável pelo tratamento da frequência dos empregados descontos abusivos no Banco de Horas”. Veja abaixo a integra do documento enviado pela empresa.

 

A FUP cobrou na quinta-feira, 14, uma reunião específica com o RH para tratar deste tema, voltando a ressaltar a importância de se buscar uma solução para os problemas de frequência denunciados pelos trabalhadores.  “Destacamos os impactos da pandemia do novo coronavírus nas relações de trabalho da categoria petroleira, o que levou, inclusive, o Sistema Petrobrás a prorrogar unilateralmente a vigência dos regimes de teletrabalho, bem como de turno de 12h em refinarias e terminais, até 31 de março de 2021”, afirmou a FUP no documento enviado à Petrobras.

 

Veja abaixo a íntegra do documento enviado pela Petrobrás à FUP:

 

 

 

 

Via FUP (Foto: Tânia Rego/Agência Brasil).