Image not available
Image not available
Segunda, 26 Novembro 2018 16:55

Corpo de trabalhador morto em PNA-2 ainda está a bordo da plataforma

Funcionário da empresa RIP Kaeter, Sandro morava em Marataízes (ES), era casado e deixa um filho. Estão em Macaé a esposa, um irmão e um cunhado do petroleiro.

 

 

Passadas quase 24 horas da morte do petroleiro Sandro Ferreira da Silva, 43 anos, na plataforma PNA-2, na Bacia de Campos, o corpo do trabalhador continua a bordo da unidade neste início de tarde.

 

De acordo com informações apuradas pelo Sindipetro-NF junto à Petrobrás, a retirada do corpo do local do acidente é uma operação delicada, em razão da altura de dez metros do piso da plataforma e do difícil acesso. O trabalho será feito por uma equipe especializada dos bombeiros.

 

Além da dor da família, que aguarda pelo corpo em Macaé, o sindicato registra o grande abalo psicológico sofrido pelos colegas trabalhadores a bordo de PNA-2. Para estes, a entidade orienta que solicitem, se julgarem necessário, o desembarque.

 

Ontem, por volta das 14h30, horário do acidente, 192 petroleiros estavam a bordo. A plataforma continua a operar hoje.

 

O sindicato também mantém o apelo para que os petroleiros enviem para a entidade qualquer informação que possa contribuir na elucidação das causas do acidente ([email protected] ou pelos telefones da diretoria).

 

Para todos os demais trabalhadores, segue o alerta constante para que utilizem o Direito de Recusa ao trabalho que não garanta a segurança necessária (Item 11.9 do Anexo 2 da Nr 30).

 

Funcionário da empresa RIP Kaeter, Sandro morava em Marataízes (ES), era casado e deixa um filho. Estão em Macaé a esposa, um irmão e um cunhado do petroleiro.

 

Hoje pela manhã, diretores do sindicato estenderam faixas no Heliporto do Farol de São Thomé e fizeram falas que denunciaram a precarização das condições de segurança nas áreas operacionais da Petrobrás. 

 

Via Sindipetro-NF

Jornal Revista

Edição Nº 1413

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro