Zenith Forex carreira Jack Daniels Melhor Forex Estratégia Forex trading para ganhar dinheiro Sistema de trade de liberalização Análise do Mercado Forex PDF Forex Mundo Cargo Filipinas Truques de negociação de opções bacanas Swing Forex Estratégia Como as Forex Centrum Forex Taxa de câmbio Dia Trading Forex Live YouTube forex utah. O leilão de swap forex é Opções binárias Rich Forex Trading. NBAD Forex Trading. Ponto Pivot Opções binárias Trading Strategy Videos Estratégia de negociação de jacaré Você tem sistema de Forexchange grupo forex Opções binárias S & P 500 Bangladesh Negociação multi estratégia Indicador de Alerta de Bollinger Bands MT4 Terminologia Forex para iniciantes PDF Forex Broker Killer 1 minuto Estratégia Barclays Zâmbia Forex. Data de Banco Estadual da Índia Forex Ramos Pune man Aprenda Forex Negociar software de sistema de negociação automática state dating laws in Sint Genesius Rode Belgium speed dating central Natal Brazil ヒマラヤ外国為替プライベートリミテッドリミテッド toerana hookup Antsirabe Madagaskar
Quarta, 25 Novembro 2015 12:11

Movimentos feministas do Paraná promovem ato no Dia da Não Violência Contra a Mulher

Mobilização será nesta quarta-feira (25) às 13h na Praça Santos Andrade

 

Os movimentos feministas do Paraná promovem nesta quarta-feira (25), às 13h, na Praça Santos Andrade, um ato pelo Dia da Não Violência Contra a Mulher. Militantes vão pedir o fim da impunidade e mais políticas públicas para combater o feminicídios e outras práticas constante de agressões contra as mulheres.

“A cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil e uma em cada cinco mulheres já sofreu algum tipo de violência cometida por um homem. Enquanto isso, observamos uma total ausência de políticas públicas para prevenir estes crimes e ao mesmo identificar e punir os responsáveis pelos atos já cometidos”, protesta a secretária da Mulher da CUT Paraná, Anacélie Azevedo.

De acordo com ela, somente na última década 43.500 mulheres foram assassinadas e cerca de 40% dos crimes aconteceram dentro de suas próprias casas. No segundo semestre de 2014 foram registradas 5.222 ocorrências de criems de violência doméstica e familiar, além de 45 homicídios. “Acreditamos que este número seja bem mais expressivo já que há uma evidente subnotificação. As pesquisas mostram que quase 70% das vítimas não denunciam o agressor por medo”, completa Anacélie.

Além de expor os dados alarmantes de violência contra as mulheres, o ato também terá um caráter de cobrança do poder público, segundo a dirigente. Uma antiga reivindicação dos movimentos feministas, a criação de uma secretaria específica para organizar as políticas públicas, segue sem sair do papel.

Há ainda a ausência da identificação e punição dos crimes cometidos contra as mulheres. Os mais famosos deles, contra as meninas Tayná e Rachel, seguem sem solução. “Enquanto isso, o Governo do Estado, recebeu veículos para o atendimento de mulheres vítimas de violência, mas eles seguem sem uso. Isso já faz um ano e meio”, completa.

Serviço: Ato do Dia Pela Não Violência Contra a Mulher
Data: Quarta-feira, 25 de novembro de 2015
Horário: 13h
Local: Praça Santos Andrade

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro