Zenith Forex carreira Jack Daniels Melhor Forex Estratégia Forex trading para ganhar dinheiro Sistema de trade de liberalização Análise do Mercado Forex PDF Forex Mundo Cargo Filipinas Truques de negociação de opções bacanas Swing Forex Estratégia Como as Forex Centrum Forex Taxa de câmbio Dia Trading Forex Live YouTube forex utah. O leilão de swap forex é Opções binárias Rich Forex Trading. NBAD Forex Trading. Ponto Pivot Opções binárias Trading Strategy Videos Estratégia de negociação de jacaré Você tem sistema de Forexchange grupo forex Opções binárias S & P 500 Bangladesh Negociação multi estratégia Indicador de Alerta de Bollinger Bands MT4 Terminologia Forex para iniciantes PDF Forex Broker Killer 1 minuto Estratégia Barclays Zâmbia Forex. Data de Banco Estadual da Índia Forex Ramos Pune man Aprenda Forex Negociar software de sistema de negociação automática state dating laws in Sint Genesius Rode Belgium speed dating central Natal Brazil ヒマラヤ外国為替プライベートリミテッドリミテッド toerana hookup Antsirabe Madagaskar
Quinta, 17 Outubro 2013 18:22

Greve dos petroleiros começa forte no Paraná e Santa Catarina

Categoria exige o imediato cancelamento do leilão do pré-sal e melhorias na proposta da empresa

A paralisação por tempo indeterminado dos petroleiros do Paraná e Santa Catarina, iniciada à zero hora desta quinta-feira (17), começou com expressivos índices de adesão da categoria. Na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, cerca de 90% dos trabalhadores em regime de turno ininterrupto de revezamento aderiram ao movimento. No setor administrativo, a greve envolveu 70% dos funcionários.

O turno da Usina do Xisto (SIX), em São Mateus do Sul, teve adesão total à paralisação. Já o administrativo contou com 40% de participação. Ainda no Paraná, o Terminal Transpetro de Paranaguá (Tepar) registrou 80% de trabalhadores em greve.

Em Santa Catarina também houve grande participação da categoria no movimento. No Terminais Transpetro de Biguaçu, Guaramirim e Itajaí a participação na greve foi de aproximadamente 90%, tanto do turno quanto do administrativo. Já no Terminal de São Francisco do Sul (Tefran), o índice de adesão foi de 80%.

Os petroleiros exigem a suspensão imediata do leilão de Libra, a maior e mais importante descoberta de petróleo dos últimos anos, que o governo pretende ofertar às empresas privadas no próximo dia 21.  Outro ponto central da greve é a retirada de tramitação do Projeto de Lei 4330, que sob o pretexto de regulamentar a terceirização, piora consideravelmente as condições de trabalho e ataca direitos históricos da classe trabalhadora. Além disso, os petroleiros lutam por avanços na campanha reivindicatória, cuja proposta apresentada pela Petrobrás no dia 07 foi amplamente rejeitada pelos trabalhadores.

Exaustão e contingente insuficiente
Como a greve começou à zero de hoje, o último turno que opera as diversas unidades da Petrobrás nos dois estados entrou para trabalhar as 15h30 de quarta-feira (16). Dessa forma, há trabalhadores com jornadas extrapoladas. Por se tratar de atividade industrial de alto risco, que exige grande concentração e perfeito estado físico e mental, a segurança dos empregados, das instalações e do meio ambiente está em risco iminente.

A companhia foi alertada com antecedência do movimento e não procurou o Sindicato para negociar o contingencionamento. A empresa também não toma medidas para reduzir a produção, o que aumenta os riscos.

No caso da Repar, muitos dos petroleiros que entraram as 15h30 de ontem (16) assinaram um abaixo-assinado onde manifestaram o interesse em não permanecer no posto de trabalho além da jornada contratual de 8 horas. Porém, a empresa só os liberou por volta das 08h30 desta quinta-feira, totalizando uma jornada de 17 horas ininterruptas.

O Sindicato recebeu informações de que há um contingente insuficiente e despreparado para conduzir a produção da refinaria. Há denúncias de pessoas não qualificadas operando setores, como é o caso do HRC (Hidrotratamento e Reforma Catalítica) e UTDI (Unidade de Tratamento de Despejos Industriais), onde nenhum trabalhador do local está trabalhando neste momento.

Nas demais unidades, a empresa tem forçado a sobrejornada, levando os trabalhadores à exaustão física e mental. O Sindicato reafirma sua posição de estar aberto às negociações para a composição de um contingente, mas até agora a empresa não se manifestou. O Sindicato buscou a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e denunciou as práticas abusivas empresas. Uma reunião entre o MPT, representantes do Sindicato e da Petrobras acontece ainda nesta quinta-feira, às 16h00, em Curitiba.
    

Última modificação em Quinta, 17 Outubro 2013 18:26

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro